Raspberry Pi – Add USB áudio (e travar o i2c)

Quando precisamos fazer do Raspberry Pi um tocador de áudio, logo vamos notar que a saída de áudio via conector P2 (tipo fone de ouvido) produz um sinal de áudio das mais baixas qualidades.

Isto já era de se esperar de um sistema de baixo custo, onde a real preocupação é com o custo mesmo, oferecendo apenas um hardware básico.

Mas felizmente temos o suporte à USB (sem a qual hoje estaríamos “perdidos”) e assim, quase tudo hoje em dia é oferecido na versão USB, bem como a “placa” de áudio, que se parece com “pendrive”:

Este modelo da imagem acima, foi o que eu consegui comprar ao custo de 20 reais na minha região, mas pela internet o valor começa com cerca de 9,00.

O modelo do chip desta placa de som USB é baseado no chip CM108 da C-Media.

Para instalar no Raspbian eu segui o tutorial do site:

https://learn.adafruit.com/usb-audio-cards-with-a-raspberry-pi/instructions

 

Mas como sempre: “A pressa é a inimiga da perfeição!”

E antes de estar com a placa de áudio USB nas mãos, como ainda eu não sabia qual era o chip (CM108) eu resolvi “poupar” tempo e já “instalar” os devidos suportes ao novo dispositivo USB, atualizando os drivers, conforme sugere o site do link acima.

No entanto, depois de atualizar, acabei foi ganhando um problema, em vez de poupar tempo, aconteceu que eu “perdi” mais tempo.

Infelizmente aconteceu do suporte ao i2c parar de funcionar. Simplesmente não foi mais reconhecido, não consegue encontrar mais o(s) arquivo(s) de dispositiv(s) /dev/i2c* e nem mesmo refazendo os procedimentos para o i2c, o problema persiste.

O sistema que estou desenvolvendo faz uso do i2c para ter acesso ao RTC (relógio de tempo real) via chip DS1307, pois precisa-se de um relógio de horário corrente, mas não vai ter acesso à internet, com a qual o Raspberry Pi poderia atualizar o relógio via NTP.

As instruções para add o RTC ao Raspberry Pi, podem ser encontradas no site:

https://learn.adafruit.com/adding-a-real-time-clock-to-raspberry-pi/overview

Uma nota interessante é que os pinos do barramento i2c do Raspberry Pi já possui “resistores” pull-up internos, o que facilita ainda mais, sendo necessário apenas o chip DS1307 e a bateria de 3V (CR2032).

Uma outra dica, ou problema, que acabei encontrando (por acaso) ao fazer um back up dos arquivos via programa “FileZilla”:

Estava eu copiando as pastas /etc, /home e /var, quando me deparei com grandes arquivos (mais de 100MB) na pasta /var, e surpreendentemente eram do servidor apache2, logo notei que eram arquivos de “log”. Ao pesquisar, encontrei como desativar estes log’s que vão deixar o cartão SD sem espaço, uma hora ou outra:

http://www.lleess.com/2013/07/how-to-easily-disable-log-in-apache.html#.VLnKNrdTviw

Voltando na situação inicial, para contornar de forma mais simples, pois após muita pesquisa na internet, sempre são citadas as formas tradicionais de instalação do acesso ao i2c, o jeito foi “reinstalar” o Raspbian (S.O.).

Para finalizar, sugiro fortemente que ao fazer uma “atualização” mais profunda que o “apt-get update” seja feito um back up do cartão SD, como é sugerido no site:

http://faciltek.com/raspberry-pi-como-fazer-um-backup-seu-sistema/

Espero que estas dicas lhe sejam úteis e,

Boa sorte!

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: